Sou um profissional de marketing em constante evolução. Acredito que negócios acompanham a vida das pessoas e que as pessoas mudam a cada dia. Sou entusiasta da tecnologia, movido a desafios e busco no meu trabalho uma forma de me desenvolver como ser humano. Através da colaboração com profissionais que admiro, aprendo e cresço a cada dia. Meu principal objetivo profissional é aproximar marcas e consumidores através de histórias verdadeiras, relacionamentos transparentes e duradouros.

 

Make the client the focal point of your business again. Without clients you will not make money. In fact, you will not exist. Weed out the morally bankrupt people, no matter how much money they make for the firm. And get the culture right again, so people want to work here for the right reasons. People who care only about making money will not sustain this firm — or the trust of its clients — for very much longer.

Greg Smith in his resignation letter to Goldman Sachs: Why I am leaving Goldman Sachs

swissmiss | work for the right reasons

Uma nova proposta de definir o seu target.

Perfis Digigráficos: Introdução

(by AgenciaDM9DDB)

"I am obsessively interested in everything, and that gets expressed more through my eyes than through my ears" - Michael Wolff

Intel Visual Life - Michael Wolff (by channelintel)

O valor social das marcas líderes globais. 
(via Cool Infographics)

O valor social das marcas líderes globais. 

(via Cool Infographics)

Uma iniciativa inovadora, que infelizmente  só funcionará fora do Brasil. 

KLM Meet & Seat (by KLMRoyalDutchAirline)

Tapa de luva // Fotoshop by Adobé 

(Fonte: youtube.com)

Fresh Impressions on Brandmarks (from a 5-year-old) 

(Fonte: youtube.com)

Nem todas as boas ideias nascem brilhantes. Confira o infográfico sobre a criação de ideais.

(via Infographic of the Day: Not All Bad Ideas Are Created Equal | Co.Design)

Nem todas as boas ideias nascem brilhantes. Confira o infográfico sobre a criação de ideais.

(via Infographic of the Day: Not All Bad Ideas Are Created Equal | Co.Design)

Normalmente, as marcas brasileiras não têm estômago para lidar com confronto. Os diretores de marketing não suportam críticas negativas e isso é uma das coisas que mais poderia ajudar o mercado de consumo brasileiro: se abrir para que as marcas se mostrem como pessoas, e com condições de administrar tudo isso. No momento em que isso fosse adotado, os consumidores responderiam.

Luciana Stein - Trendroom 

(Fonte: mundodomarketing.com.br)

criar é conflitante, é a comunhão da diferença. no processo, o que me interessa é a dúvida.

joão miguel